FUNDAÇÃO CRIANÇA SE DESTACA PELAS BOAS PRÁTICAS NA EXECUÇÃO DE MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS EM MEIO ABERTO

A Fundação Criança de São Bernardo do Campo participou do SEMINÁRIO REGIONAL DE FORTALECIMENTO DO SISTEMA DE GARANTIA DE DIREITOS HUMANOS DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES DO ESTADO DE SÃO PAULO – REGIÃO DO GRANDE SÃO PAULO ABC, promovido pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONDECA-SP), realizado nos dias 10 e 11.04.17, neste município.

O CONDECA em parceria com a Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento SocialSEDS solicitou ao Centro de Atendimento Socioeducativo (CASE) – SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL A ADOLESCENTES EM CUMPRIMENTO DE MEDIDA SOCIOEDUCATIVA DE LIBERDADE ASSISTIDA (LA) E DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS À COMUNIDADE (PSC), desta Fundação a participação em duas mesas-redondas.

Na parte da manhã – foram apresentadas “Boas Práticas” na execução de medidas socioeducativas. Maria Lúcia de Lucena, coordenadora do serviço, apresentou as ações de maior impacto nos últimos dez anos, as quais têm proporcionado visibilidade ao serviço e promovido a diminuição do olhar estigmatizado por parte de alguns atores do Sistema de Garantia de Direitos (SGD) do município, sobre os adolescentes aos quais se atribui a prática de atos infracionais.  Foram citados como importantes atores nesse processo a Promotoria da Infância e da Juventude, desta Comarca, por intermédio do Projeto Parceria na Construção de uma Cultura de Paz; a equipe técnica do CASE; a Comissão intersetorial e interinstitucional que participou da elaboração e construção do Plano Municipal Decenal de Atendimento Socioeducativo, a Secretaria da Assistência Social (SEDESC), entre outros.

No período da tarde, o educador social, Agnaldo Aparecido Geremias, representando a equipe técnica do CASE, apresentou brevemente, a metodologia utilizada pelo serviço. Destacou que a centralidade da referida metodologia está voltada aos atendimentos grupais (temático-reflexiva e lúdico-pedagógica), onde o trinômio ação-reflexão-ação é o norteador de toda ação pedagógica.

Dentro do processo socioeducativo a vivência grupal é uma experiência social onde se aprende a descobrir, a desenvolver relações uns com os outros, a adquirir novas bases para o conhecimento e para o saber fazer. É no grupo que se encontram as melhores oportunidades de vivenciar regras de convivência, conhecer e respeitar limites, além do estímulo para o exercício de valores universais. O educador evidenciou também que o serviço entende como imprescindível a acolhida ao adolescente e sua família, visando o estabelecimento de vínculos relacionais significativos e o consequente sucesso no processo socioeducativo.